ENCANTO

(Ulisses Castro e J. Velloso)   

Enquanto tanto pranto escorre
Canto-te o encanto que me corre
Ocorre-me ver-te em selvagem espanto
Em seu tonto amor que me comove

Move-me querer ter-te como um manto
Do reisado do amor dos cânticos
Filhos do Sol sob um luar andante
Cante, conte e mande
A tua benção, a tua crença

Ata-me à tua luz secreta
Átrio que reluz na lembrança
Áureo tempo que em mim encerra
Minha voz na tua voz se lança

 “Silêncio
Cantar
Cantar é rezar mil vezes
É cachoeira com água do mar
É tocar no que não tem forma
Aroma que não se prende, mas não se esquece
Umbigo é mãe agarrada na pele até o fim
Na pele do som da voz
A voz da pele de Deus
Emplumada, enfolhada, encharcada, em faísca
Seca, lisa, crespa
De rocha ou escama”

(J. Velloso)
 
Teu silêncio ao meu segredo se prega
Prego-me ao teu jeito nas andanças
Minha pele traz tua alma desperta
Tua alma é a pele da esperança

Se há amor eu me multiplico inteiro
Espero sempre um amor derradeiro
Dá-me coragem pra felicidade densa
Cante, conte e mande
A tua crença, minha esperança

J. Velloso - Encanto (Part. Especial de Maria Bethânia)  
(Ulisses Castro e J. Velloso)
CD: Aboio Para Um Rinoceronte 2004

Acompanhe J. Velloso pelas redes sociais:

  • Facebook - White Circle
  • spotify
  • YouTube - White Circle
  • d46fce_32cf82ff1c0a455d93890d7872d1c082-mv2
  • Instagram - White Circle

Site desenvolvido por Mirella Medeiros.