Wilson Café - Dezessete e Setecentos
(Wilson Café  e J. Velloso)

CD: Coração de Tambor,, 1997

DEZESSETE E SETECENTOS

(Wilson Café  e J. Velloso)

Pandeireiro, pândego pandeiro

Pandeireiro onde mora sua graça de amar

É no sonho que é a grande maravilha

Mora dentro da cabeça, independente do lar

 

Camarada já me disse que hoje em dia

É o dia a dia de querer vencer sem descansar

Quando reparo que da chuva sai o raio

É sob a palha do coqueiro onde posso morar

 

E olhe o raio, raio

E é no raio que alumia o meu medo no ar

 

Meu amor me viu de cara triste

Só porque vislumbrei nuvens negras no meu mar

 

É dezessete e setecentos

Não tenho onde morar

É dezessete e setecentos

Não tenho onde morar

 

A moradia já virou feijão

Mas o pobre coração não para de sonhar

Acompanhe J. Velloso pelas redes sociais:

  • Facebook - White Circle
  • spotify
  • YouTube - White Circle
  • d46fce_32cf82ff1c0a455d93890d7872d1c082-mv2
  • Instagram - White Circle

Site desenvolvido por Mirella Medeiros.